A Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Sinduepg) participa, entre os dias 26 de fevereiro e 01 de março, do 42° Congresso do Andes-SN, na Universidade Federal do Ceará, em Fortaleza. O evento é a instância máxima de deliberação da categoria e deve reunir representantes de todo o Brasil. O Sinduepg estará representado pelas professoras Gabriela Ribeiro, do departamento de Jornalismo, e Regina Stori, do departamento de Artes, que foram escolhidas em Assembleia Geral, realizada em dezembro de 2023.

O tema central deste congresso será “Reverter as contrarreformas, em defesa da educação, dos serviços públicos, das liberdades democráticas e dos direitos sociais”. Além disso, estão previstos assuntos como a Conjuntura e Movimento Docente; Planos de Lutas dos Setores; Plano Geral de Lutas; e Questões Organizativas e Financeiras. Para a professora Regina Stori, o espaço de discussão vai oportunizar a integração entre docentes de diversos estados brasileiros. “É preciso ter consciência de que a luta que fazemos não se restringe à pauta local ou estadual. As ofensivas contra a educação, de modo mais amplo, têm sido constantes. Para além da educação, a classe trabalhadora e a própria democracia, com suas garantias básicas, têm sido postas em xeque”, avalia.

Para o vice-presidente regional Sul do Andes-SN, professor Gilberto Calil, a participação das seções sindicais do Paraná pode contribuir bastante para o debate nacional, por conta dos descasos do governo do estado com o ensino superior público e por ser uma espécie de experimento de políticas e contrarreformas. “As universidades estaduais paranaenses têm um papel extremamente importante nesse contexto. Hoje a gente vive a luta contra a Lei Geral das Universidades (LGU), que será discutida no nosso congresso, em defesa da autonomia universitária, das condições de trabalho, pela garantia de que a universidade se mantenha efetivamente com o público, gratuita, democrática, socialmente referenciada e de qualidade”, destaca.

Além das professoras Regina e Gabriela, o Sinduepg e outras seções sindicais também estão presentes no Caderno de Textos do Congresso, com uma produção sobre o enfrentamento à Lei Geral das Universidades (LGU) para intensificar a luta pela au- tonomia universitária.

Após o retorno das professoras participantes, o Sinduepg deve promover um espaço para compartilhamento de informações e detalhes sobre a 42ª edição do Congresso do Andes. “A participação das representantes do Sinduepg possibilita um momento de reflexão e trocas com colegas de demais seções sindicais sobre essas questões. Entretanto, essas reflexões ficam limitadas se não forem compartilhadas com demais colegas da base”, finaliza Stori.